Notícia

27 de Outubro, 2018

Missa ao vivo, vai mostrar o Santuário do Rocio, para mais de 3 milhões de telespectadores

No próximo domingo, dia 28, a Santuário da Padroeira do Paraná, em Paranaguá, será apresentado para todo o Brasil pela transmissão ao vivo da Santa Missa com o Padre Robson de Oliveira, na Rede Vida de Televisão.

O religioso é da Congregação do Santíssimo Redentor e reitor de um dos principais santuários do país, o “Divino Pai Eterno” em Trindade. O Santuário de Nossa Senhora do Rocio também é administrado pelos Redentoristas, Padre Joaquim Parron e Irmão Jorge Tarachuque.

A vinda do Padre Robson insere Paranaguá no contexto nacional com um evento importante. Padre Parron e Irmão Jorge afirmam “é um privilégio para os devotos da Padroeira do Paraná recebê-lo no Santuário do Rocio. É excelente Paranaguá aparecer no contexto nacional a partir de fatos positivos como este” ressaltaram os Redentoristas

A Congregação dos Redentoristas tem com um dos seus carismas a comunicação social e a pedido do Papa, “cuida” de vários locais de grande peregrinação religiosa no mundo, como a Basílica de Aparecida em São Paulo.  

A Missa Dominical com o Padre Robson é transmitida semanalmente pela Rede Vida sempre às 17:30 da Basílica de Trindade, Goiás. Quando está em peregrinação, Padre Robson leva a imagem peregrina do Divino Pai Eterno e celebra em igrejas por todo o país, também com a transmissão da Rede Vida. A emissora católica alcança 1500 cidades e um público de mais de 3 milhões de telespectadores.

 

-- Um pouco mais sobre a Devoção ao Divino Pai Eterno.

A imagem de Nossa Senhora da Conceição que originou a devoção à padroeira do Brasil, “apareceu” nas águas do Rio Paraíba. A de Nossa Senhora do Rosário, que originou a devoção à padroeira do Paraná, “surgiu” na baía de Paranaguá.

Já a devoção ao Divino Pai Eterno, teve origem no campo. Ao “bater” a enxada na terra para o plantio, um humilde sitiante chamado Constantino acertou em algo semelhante a uma pedra.

Na verdade era um medalhão de barro com aproximadamente 8 cm, onde estava representada a Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria. Constantino mostrou para a esposa Ana Rosa o medalhão e o manteve na sua casinha.

Depois do fato a vida do povo naquela região. Ali estava iniciada a devoção ao Divino Pai Eterno, com o casal, seus familiares, vizinhos e visitantes se reunindo constantemente para rezar o terço.

Dois anos após o início das orações em torno do medalhão, Constantino se dirigiu a Pirenópolis, a mais de 120 km do então Barro Preto, com a idéia de restaurar o medalhão. O artista plástico goiano Veiga Valle, sugeriu que se fizesse uma réplica da figura, com um tamanho maior, esculpida em madeira. Daí surgiu a  Imagem, que se tornou a grandiosa patrona da devoção ao Divino Pai Eterno. 

Prodígios, graças e milagres começaram a acontecer. A notícia se espalhou e outros moradores locais se juntaram a Constantino e Ana Rosa.  Para acolher os novos devotos foi construída, por volta de 1843, a primeira capela coberta com folhas de buriti.

Texto: Pascom Santuário Estadual de NSra do Rocio

Fonte: www.paieterno.com


Conheça melhor o Padre Robson de Oliveira