Panela de Barro com o Barreado, prato típico paranaense

Dia 13 de julho (sábado), o Santuário do Rocio convida você e toda a sua família para a Noite do Barreado. Será uma noite incrível e muito gostosa, que acontecerá após a missa das 19h no Salão Social do Santuário.
O barreado terá como acompanhamentos: arroz, farinha de mandioca e a tradicional banana. Os ingressos estarão sendo vendidos a partir de amanhã, dia 02 de julho em dois locais: Santuário de Nossa Senhora do Rocio e Rádio Difusora Mais FM, com o valor de R$30 por pessoa.
Portanto, traga sua família e venha aproveitar essa noite maravilhosa!

Você sabe como surgiu o famoso barreado?
Um dos grandes representantes da cozinha paranaense, o barreado surgiu aproximadamente em meados do século XVIII (18), durante o carnaval, uma vez que as panelas ficavam lacradas e o tempo de cozimento do mesmo é demorado, as mulheres poderiam ir se divertir a vontade nos festejos.
Sendo assim, o barreado cooperou no desenvolvimento turístico do litoral paranaense, das cidades de Paranaguá, Morretes e Antonina, que disputam até hoje onde este prato clássico nasceu, e que com o passar do tempo ganhou adaptações.

Como é feito o Barreado?
Ingredientes:
5 kg de carne fresca (peito, coxão mole, patinho)
500 gramas de toucinho fresco
3 cabeças grandes de cebola
3 dentes de alho
4 folhas de louro
6 pitada de cominho
6 pitadas de pimenta do reino
4 maços de cheiro verde
1 maço de alfavacas
1/2 litro de vinagre

Modo de Preparo:
Começa-se o corte e a limpeza das carnes de véspera. As carnes e o toucinho devem ser cortados em pedaços pequenos, adicionando-se todos os temperos cortados. Leva-se tudo a uma vasilha que não seja de alumínio. Deixa-se repousar até o dia do preparo. Forra-se a panela com o toucinho e leva-se ao fogo para derreter. Depois põe-se as carnes temperadas, tampa-se a panela. Com uma folha de bananeira previamente sapecada na chapa para amolecer, amarra-se com um barbante grosso nas bordas. Coloca-se a tampa e barrea-se com uma mistura de cinza de fogão, farinha de mandioca e água fervendo para dar a liga.
Depois de bem vedada, leva-se ao fogo forte nas primeiras horas, passando-se para um fogo mais brando depois. O fogão tem que ser a lenha. O tempo de cozimento é 12 horas. Quando a folha da bananeira estiver bem escura, está pronto o barreado.

Modo de servir:
Serve-se com farinha de mandioca, banana, laranja e arroz. Acompanha uma bebida alcoólica (batida ou pinga) que serve para rebater este prato considerado bastante forte. Esta receita rende 10 porções.


Leia também